-

terça-feira, 23 de março de 2010

Dueto lírico




As bocas separadas por uma distância mínima,
nula,
tão próximas que o ar que sai de dentro de um
preenche o peito vazio do outro
devoram-se ao saciar o desejo em gotas de saliva
e pingos de suor
entrelaçam corpos e copos
ao brindar doses de gozo.


No calor das noites embriagadas
de tesão e paixão
vomitamos nossas partes mais íntimas
ínfimas,
ao curarmos a ressaca da saudade com o doce carinho ardente dos olhos
que se encontram
se cruzam
se espelham

antes de partir
e levar consigo a metade inteira do olhar do outro
no olho seu,
partido.



Por Fernanda Tavares e Rene Serafim (Juninho)

5 comentários:

  1. Saudade! Palavrinha mais que conhecida nos nossos diálogos...

    ;*

    ResponderExcluir
  2. Bota belo nisso. Senti até meu coração pulsar mais rápido aqui. :D

    ResponderExcluir
  3. Interação perfeita com o grande Rene... leio aqui e lá para aprender este 'troço' de escrever!

    Obrigado pela ida ao dogMas e aproveito para divulgar-te.


    Hoje tem Confraria (meu blog das quintas)!




    http://confrariadostrouxas.blogspot.com/2010/03/louco.html

    ResponderExcluir
  4. aeeeeee!!! demorô! hehehe
    bem vida ao blogger.com ;)

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails